Notícias

Líderes religiosos britânicos: "ISIS deve ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional"

Levar os jihadistas ao Tribunal Penal Internacional que pune crimes contra a humanidade: é o que pedem líderes cristãos, muçulmanos, judeus, hindus, siques e zoroastristas do Reino Unido, em um apelo conjunto ao Premiê David Camerun publicado no cotidiano “Daily Telegraph”.

Conversões forçadas, decapitações e crucificações de cristãos e yazidis são uma tragédia de ‘proporções históricas’, diz a carta, assinada, entre outros, por Dom Declan Lang, bispo de Clifton. Segundo os líderes religiosos britânicos, estes crimes não podem ficar impunes: “A cultura da impunidade em que tais atrocidades são cometidas deve ser combatida de modo enérgico”. A partir disto, fazem um apelo ao Governo Cameron para usar suas prerrogativas como membro permanente do Conselho de Segurança para que o Tribunal Internacional abra um inquérito. “A comunidade internacional deve mandar um sinal claro a quem esta cometendo estes crimes de que a certo ponto, deverão responder por seus gestos”.

A carta lembra ainda que o que está acontecendo no Iraque se insere num contexto mais amplo de crescentes perseguições e restrições à liberdade religiosa no mundo: “Os governos, as instituições internacionais e as ONGs devem dedicar tempo e forças para garantir o respeito deste direito fundamental e impedir novas tragédias”.

Também o Presidente do Congresso Judaico Mundial (WJC), Ronald S. Lauder, expressou solidariedade aos cristãos no Iraque em um apelo publicado quinta-feira, 21, em seu site. O WJC pede a “todas as pessoas de boa vontade que se unam e detenham esta repugnante onda de violência”, recordando que “o povo judeu conhece muito bem o que pode acontecer se o mundo ficar em silêncio”.


Fonte: Rádio Vaticanoa