Notícias

Papa telefona aos pais do jornalista decapitado por jihadistas

Papa Francisco telefonou na noite desta quinta-feira, 21, para os pais de James Foley, jornalista americano assassinado pelos jihadistas do Estado Islâmico. O Santo Padre está impressionado com a fé dos familiares da vítima.

“O Santo Padre quis demonstrar a sua proximidade a esta família provada pela dor. Em particular, falou no início com a mãe, que é católica e demonstrou uma grande fé, que de alguma forma impressionou também o Santo Padre. Falou depois com o pai e depois com um membro da família de língua espanhola. Obviamente, o desejo de todos, do Santo Padre e da família, é que estes trágicos acontecimentos não se repitam”, contou o vice-diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Ciro Benedettini.

Segundo informações do padre jesuíta americano James Martin, os pais de Foley, que vivem em Richmond, em New Hampshire (EUA), estão comovidos e gratos pela proximidade do Papa.

James Foley, 40 anos, católico, estudou na “Marquette University” dos jesuítas no estado americano de Wisconsin. Sempre permaneceu em contato com eles, informando-os sobre sua movimentação em zonas de guerra, das missões humanitárias de que participava, mas sobretudo pedia para ser acompanhado na oração. O Rosário – como chegou a escrever em uma carta – já o havia salvado antes nos meses de cárcere na Líbia, depois na Síria onde havia sido sequestrado em 2012.

A mãe de Foley afirmou estar orgulhosa do filho e da coragem que ele demonstrou sacrificando a sua vida para mostrar ao mundo o sofrimento daqueles povos. Ela deixou um apelo aos sequestradores a fim de que poupem a vida dos outros reféns.

A Universidade dos Jesuítas organizou para o próximo dia 26 de agosto uma cerimônia religiosa em memória do jornalista.

 

Fonte: Canção Nova