Notícias

Jornalista estadunidense, católico, é decapitado pelo Estado Islâmico

1 0 820731O Estado Islâmico anunciou a decapitação do jornalista estadunidense James Foley, freelance sequestrado na Síria em 2012. O vídeo da execução foi postado na rede. Foley era católico, ex-aluno da Universidade Marquette, fundada e dirigida pelos jesuítas. A execução é uma retaliação dos jihadistas contra os Estados Unidos pelos ataques aéreos e com drones realizados no norte no Iraque.

‘Mensagem à América’. Assim se chama o vídeo da execução do jornalista lançado na web pelo Estado Islâmico. Na filmagem, de 4min40seg, é possível ver também outro jornalista estadunidense seqüestrado na Síria, Steven Sotloff, e ao lado dele um miliciano do Estado Islâmico que diz: “a vida deste cidadão norte-americano, Obama, depende de tuas próximas decisões”.

A gravação é acompanhada de dizeres que afirmam que “as operações militares contra o Estado Islâmico” colocam a América “num plano escorregadio para um novo front de guerra contra os muçulmanos”.

As agências de inteligência dos Estados Unidos estão verificando a “autenticidade” do vídeo, mas as imagens parecem não deixar dúvidas e remetem a um choque frontal entre os Estados Unidos e o terrorismo islâmico, que parecia já superado após a retirada das tropas dos Iraque em 2011.

No entanto, novos ataques aéreos dos Estados Unidos atingiram posições do Estado Islâmico nas proximidades da represa de Mosul. Intervenção aérea que é pedida também pelas forças de Bagdá como apoio à ofensiva para a retomada de Tikrit, que está encontrando forte resistência por parte dos integralistas.

A Organização das Nações Unidas, por sua vez, anuncia o início de uma grande operação para socorrer meio milhão de refugiados obrigados a fugir de suas casas pelos jihadistas. As ajudas também serão enviadas à Síria para os refugiados que ultrapassaram as fronteiras entre Síria e Iraque. (JE)

 

Fonte: Radio Vaticano